Programa Nacional de Conexão Indústria recebe inscrições até 12 de abril | Inova Sorocaba

Agenda da Inovação

Programa Nacional de Conexão Indústria recebe inscrições até 12 de abril

31 de Março de 2017
|

Fonte: ABDI

Indústrias, startups e instituições de apoio ao desenvolvimento de negócios têm até o dia 12 de abril de 2017 para se inscreverem no edital do Programa Nacional Conexão Startup Indústria, publicado na página www.startupindustria.com.br. Serão selecionadas 10 indústrias, 20 instituições de apoio e 100 startups.

Em uma concorrida cerimônia com a presença de mais de 400 participantes, entre CEOs de grandes indústrias, gestores, empreendedores de startups, acadêmicos, investidores e representantes de instituições de apoio à inovação, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) lançou, na quinta-feira (16), em São Paulo, o edital do Programa.

Representando o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, o presidente da ABDI, Guto Ferreira, abriu o discurso destacando as boas perspectivas para a economia e para a indústria brasileira nos próximos anos. “Não podemos nos deixar contagiar pelo pessimismo. A saída para a superação da crise e para a ampliação da competitividade e da produtividade do país está na inovação. E foi com essa perspectiva que nasceu o Programa Conexão Startup Indústria, como uma nova alternativa para a inovação. O Programa quer ser a ponte entre indústrias e startups, que juntas produzem inteligência e soluções para um Brasil mais competitivo”, destacou o presidente, ao declarar que “os bons ventos voltaram”.

Guto mencionou que a ABDI tem trabalhado, de forma parceira e integrada, com os ministérios da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), em diversas frentes. “Estamos atuando em conjunto na atualização da Lei da Informática, Lei do Bem, no apoio aos Programas InovAtiva Brasil e Brasil Mais Produtivo, coordenados pelo MDIC, além de projetos de estímulo à manufatura avançada (Indústria 4.0)”, disse.

Painel

O evento de lançamento do edital também contou com o painel “Novos Rumos da Inovação no Brasil: a conexão startup indústria”, moderado pelo presidente da ABDI, com as participações de gestores da Samsung, Embraer e Cisco. O gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da Samsung, Antônio Marcon, falou sobre o Programa de Promoção da Economia Criativa implementado pela empresa coreana, com o apoio da Anprotec. “Temos uma expectativa muito positiva com o lançamento Startup Indústria. O Programa vem em boa hora e possibilita uma interação mais próxima entre os diversos agentes, tanto do lado da indústria, quanto do lado das startups e das instituições de apoio”, afirmou Marcon, ao mencionar os resultados positivos do Economia Criativa, lançado em 2015 pela Samsung para dar suporte a empreendimentos inovadores em áreas de interesse da companhia. Entre 2015 e 2020, a Samsung deverá investir US$ 5 milhões no programa, provenientes de renúncia fiscal, prevista na Lei de Informática.

Para o diretor de Desenvolvimento Tecnológico da Embraer, Daniel Moczydlower, o grande mérito do Conexão Startup Indústria é promover a interação de todos os atores do ecossistema. “Nesse sentido o Startup Indústria tem papel fundamental, já que nos ajudará com a tomada de decisões e com os riscos. É muito saudável aprender como esse ecossistema funciona e, inclusive, mapear oportunidades interessantes de trazermos essas startups para próximo da nossa cadeia de fornecimento da indústria aeronáutica”, observou.

A inovação aberta e integrada prevista no Startup Indústria foi um ponto defendido pelo diretor do Centro de Inovação da Cisco, Leandro Barbeita, durante o painel. “Nos dias de hoje, é impossível pensar em inovação feita por uma equipe sozinha, em um laboratório. É preciso a integração de todo o ecossistema para ter ganho de escala. E isso é um caminho sem volta. O fato de o governo, por meio da ABDI, estimular essa integração, é um estímulo a mais para dar robustez à inovação no país”, enfatizou Barbeita, ao dizer que a Cisco vai estudar o edital para inscrição no Programa destinado às indústrias.

O presidente da ABDI, Guto Ferreira, ressaltou que um dos grandes méritos do Startup Indústria é promover o conhecimento aberto. “Quando idealizamos o Programa, fomos motivados por saber que uma indústria centenária não abriria suas portas para empresas nascentes. Ou, se abrisse, acabaria matando a sua criatividade. Por este motivo, o Conexão vem para promover uma integração saudável, onde mapeamos a necessidade da indústria e a capacidade de criação de soluções de uma empresa nascente, minimizando os riscos para ambos os lados. E esse aprendizado será compartilhado entre todos”, defendeu Ferreira.

“Pela primeira vez, conseguiremos fazer algo em escala nacional, identificando as startups que já estão no momento certo de entregar valor para essas indústrias e preparando essas indústrias para receber as startups de um jeito certo”, pontuou o presidente da Associação Brasileira de Startups, Amure Pinho. Ele lembrou ainda que uma grande indústria tem enorme potencial para alavancar uma startup.

O edital

A gerente de Inovação da ABDI e coordenadora-geral do Programa Nacional Conexão Startup Indústria, Elisa Carlos, explicou que, inicialmente, serão feitos o cadastro e a seleção de 10 indústrias, 20 instituições de apoio ao desenvolvimento de negócios e 100 startups. “Desde o ano passado, ouvimos mais de 1000 players envolvidos com inovação, de forma que pudéssemos delinear um programa colaborativo e participativo e que contribuirá, efetivamente, para a geração de valor para a indústria nacional” disse Elisa.

Após a seleção, serão formados 10 grupos de trabalho entre esses atores, na etapa de matchmaking. “Na prova de conceito, serão selecionadas 40 startups que receberão até R$ 200 mil cada. E, na sequência, faremos as rodadas de negócio, onde as startups apresentarão suas soluções para as indústrias. A melhor solução será escolhida para o codesenvolvimento de um piloto, por grupo de trabalho”, explicou Elisa, ao ressaltar que na fase do piloto, as indústrias farão a aquisição dos pilotos de 10 startups que, por sua vez, receberão até R$ 500 mil cada. “A última fase e uma das mais importantes do ponto de vista governamental é a agenda de novas estratégias, momento em que aproveitaremos toda a experiência adquirida para replicar em outras frentes e iniciativas de apoio à inovação da indústria nacional”, afirmou.

O lançamento do edital foi realizado em parceria com a Harvard Business School – HBS Alumni Angels of Brazil, uma associação de ex-alunos de Harvard que promove o empreendedorismo e o investimento de negócios em estágio inicial (anjos). Na ocasião, a HBS divulgou os resultados da pesquisa Status of Corporate Venture in Brazil: how corporations are connecting with the startup ecosystem, com um mapeamento das atividades que das grandes empresas para conexão com o ecossistema empreendedor (startups). A pesquisa será divulgada no site da HBS Alumni Angels for Brazil.

Para ter acesso ao edital do programa, clique aqui.